As obras de ampliação do Fórum de Indaiatuba (SP), iniciadas há algumas semanas, revelaram as bases de uma antiga e importante construção para a cidade, a Maternidade Albertina Sampaio de Paula Leite. Vários indaiatubanos vieram ao mundo na rua Ademar de Barros, que se chamava Rio Branco na época.

O novo prédio do Fórum terá mais de 500 metros quadrados, com custo de cerca de R$ 750 mil e prazo de um ano para entrega. Tudo será custeado com emendas parlamentares do deputado Bruno Ganem (Podemos), que disponibilizou mais de R$ 1 milhão para melhorias na Justiça em Indaiatuba. As emendas foram destinadas nos orçamentos de 2019 e 2020.

A maternidade chegou a funcionar como escola na década de 1970 antes de ser destruída. A construção foi viabilizada pelo farmacêutico Luiz Carlos Sannazzaro, esposo da professora Sylvia Teixeira de Camargo.

Relatos da época dão conta de que o motivo da construção foi que as irmãs religiosas que trabalhavam no Haoc não aceitava ou dificultavam o parto cesárea. Depois de ouvir essas queixas na farmácia em que trabalhava, Luiz, a esposa e Guerino Lui promoveram festivais musicais para levantar recursos para a construção.

A maternidade que ganharia o nome do então deputado Antônio de Paula Leite Neto, o Nico, foi tomando forma aos poucos. A construção aconteceu por etapas. Primeiro eles conseguiram recursos para o alicerce, depois para as paredes e por fim para os equipamentos. O terreno foi doado pelo prefeito da época, Luiz Teixeira de Camargo, o Lita.


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *